02 October 2006

MEU BEM QUE ME ESQUECEU


Quando um bem esquece a gente
Que desastre há dentro de mim
As flores nascem na grama
O vento sopra ao contrário
As freiras retiram o hábito
A água vira vinagre
Os passarinhos coaxam
No céu há muitas baratas
As garças comem pastel
E tudo fica em desordem
Porque um bem me esqueceu

1 comment:

Sergio Grigoletto said...

Maria Cecilia, querida Amiga de Letras!

Escrevi para você pelo mail... Não recebeu?
Escreva-me em info@clubeletras.net

SL

Sérgio Grigoletto