04 January 2007

POEMA DA MANHÃ


Logo agora que eu estava me preparando para o melhor
O pior é que me é agora preparado;
O Carnaval não aconteceu em Junho
E as roseiras nem brotaram no colchão
Olho à volta neste ínfimo momento
Tudo está absolutamente em ordem
Os tapetes gemem baixinho sobre o chão
O cachorro dorme em Zzzzzz
As cortinas finas, balofas, esvoaçam-se
O céu está pesando em chumbo injustiçado
Meu café preto tenta, sem graça, esfriar
E eu, aqui dentro de mim, estou ensimesmada
O que falta agora não é o natural;
Falta-me o ar.

1 comment:

Zazá said...

O grande lance da poesia, é que quando lida , invade o leitor e dá uma sacudida no cérebro dele.
Muitas vezes atinge até o estômago e ele passa o dia inteiro com sua situação mal resolvida.
Pena mesmo que poucos tenha a sensibilidade sutil,para decifrar o que está nas entrelinhas.A poesia serve. Serve para a reflexão, viu gente ?