25 February 2007

POEMA DO DESEJO


Quisera que surgissem no céu
Umas estrelas azuis
Um homem de fogo
Um bicho que passa, manso
A fresca da manhã
E as minhas lágrimas
Soltas, sinceras, fartas,
E o sentimento espaçoso
De desrespeito e falta de medo
Desejaria contemplar a face
Que me foi tirada
Da última tarde em paz
Que o tempo
Invisível e calado já levou
Quisera ter mais tempo
Mas nesse tempo
Eu já não sou
Quisera resumir esse mundo
Naquele pontinho negro do oceano
Que uma hora é a ilhota solitária da minha imaginação
No mais das vezes é o corpo dilacerado do afogado
Quisera que surgisse em mim
Uma falta de palavras que me explique
E aquela incapacidade de compreender tudo
Quisera calar-me para sempre
E esvanecer somente
Qual cinza ao vento.
Porque o saber de todas as coisas me endoidece
Ah, como eu desejaria estar somente no meio do caminho
Não ser esse caminho
O ser caminho, neste momento é lamento
O estar a caminho, em mim
É o caminho mais fácil.




3 comments:

Anonymous said...

Quisera ter feito a ilustração deste poema lindo!


Zazá

André said...

"Quisera que surgisse em mim
Uma falta de palavras que me explique"

Que bela poesia, muito expressiva. Estou descobrindo o seu blog e gostando muito do que leio nele. Parabéns!

André

PÉ DE PITANGA said...

André, fiquei tao feliz com seus comentários no meu blog! Juro que achava que ninguem o lesse!!!!
Obrigada por isto.
Abraços