11 March 2007

DE POETA PARA POETA - AH, ESSE TIO AMILTON...


Querida, acabo de me atualizar em seu maravilhoso blog. Wilma também. Gostamos muito. Mas fico a imaginar como conversar com uma autêntica poeta ou poetisa, utilizando de um linguajar que lhe toque o coração. Falar da vida com suas dificuldades e incompreensões? Falar de coisas concretas ou abstratas? Falar da dor ou da alegria? Do perdão ou da vingança? Do amor ou do ódio? Dos sentimentos tristes ou alegres? Da morte ou da vida?
Quisera muito ter o dom de acalmar o seu coração, mas sem sufucá-lo, sem retirar-lhe essa voz que encanta a todos que a amam...Mas como fazer, para quem não tem alma de poeta?
Penso muito em você e no pesado lenho que tem lhe provocado tantos pisões e cortes profundos, até a alma. Que a fazem sofrer, mas, por outro lado, que são perenes fontes de inspiração... Não daquela fonte de água crespa e cristalina de suas recordações de outrora. Mas que, embora sombrias e misteriosas, também matam a sede de paz. Isto, principalmente de paz. Deixe o coração desabafar, mas sem perder a fé e a esperança. Deus não nos abandona nunca.
Continue cantando, como uma Cecília Meireles, como um Álvares de Azevedo. Coragem!. De vez em quando busque um lenitivo qualquer... Estarei daqui sempre torcendo e rezando por você. Beijos do
Tio amilton

1 comment:

Zazá said...

Esse Tio Amílton...
Que lindas palavras.
Eu adorei, Ceci