05 February 2008

POEMA DO DESTINO BRANCO


E se eu lhe pedisse uma orquídea branca, patativa
Será que me daria?
E se eu lhe pedisse um destino branco,
sem mácula ou rubor
sem os pecados ordinários
dessa gente simples
será que eu receberia?
Me daria um amor tão grande
e me carregaria sobre seus ombros
como um fardo ameno
que você quisesse ter?
E se você voasse, patativa,
me levaria consigo para o branco
que ainda nao sei?
Vem patativa, e me leva...
Porque se houver montanha, eu irei
se houver um mar de pedra
se houver frio sobre o mar
ou calor por sobre a terra
ainda assim, eu irei...










1 comment:

andresa said...

Emocionante!!
Não achei nenhuma outra palavra.
Dá vontade sair gritando suas palavras pra quem a gente gosta.