26 March 2008

VERDADE


Quando me falares a verdade
que tu a digas bem devagar
verdades são o ar que se engole pouco
e que se engole sem notar
Mas quando me falares a mentira
- pérfida criatura do subterrâneo -
que tu a digas de um modo instântaneo
que seja breve o teu falar
e que seja breve a escuridão da tua fala
mentiras são a terra
que engole alguma verdade
que ainda não se pôde revelar.

2 comments:

ZAZÁ LEE said...

Vou ter que me policiar.
vc save que eu digo sempre a verdade...sem rodeios.
Este maldito cowboy que não sai de mim!

O Culto said...

Adorei seu blog! Parabéns pelos poemas e poesias!