30 June 2009

A TERRA DA MINHA ALMA


Falam-me, os sarcásticos,
" Como é possível fazer poesia neste país?"
É que não sabem, os desventurados,
que a poesia não depende de um solo cívico,
de uma bandeira eriçada,
de uma língua articulada por milhares.
A poesia é a minha mãe
e a minha pátria;
É ela quem vem me ensinando
os valores intrínsecos do meu espírito
com uma delicadeza de ama de leite,
que independendo de mapa,
fizeram de mim o que eu melhor possuo;
a terra da minha alma.

1 comment:

Vieira Calado said...

E o Pessoa dizia que a língua (portuguesa) era a sua pátria!

Mas não é só dele:

é nossa!

Bjs