29 November 2010

AINDA A ROSA



Ainda falemos de rosas,
falemos da suavidade 
e da carícia,
e deixemos para trás
as correntes de ferro.
Falemos das rosas sisudas rubras
que nos demos
e que hoje jazem secas
no porta retrato
que me destes.
Falemos de rosas
e respiremos rosas
de modo que nosso hálito
seja rosado 
como a cama que nos desvirginou.
Eu era a rosa tímida
e tu, o haste ereto que sustentava
a rosa desbrochada.
Falemos hoje  da ternura 
para que a rosa um pouco sobreviva
embora, decapitada e muito só.

3 comments:

Malu said...

Ainda falemos de coisas boas pois restam muitas por se falar...

•!¦[•Mara Bombo•]¦!• said...

querida Cecília, obrigada por sua carinhosa visita ao CLIP - Centro Literario de Piracicaba, seja sempre bem-vinda. Esse seu espaço poético transmite sensibilidade e pureza, tal qual alma de uma grande poetisa.
Parabéns e sucesso.
Mara Bombo

PÉ DE PITANGA said...

Verdade, Malu... estou tentando..
Obriga pela sua visita...
Abraços