01 December 2010

DEZEMBRO


Chega o Dezembro tórrido
e o meu calor desaba 
por sobre a poesia morna...
Tento um verso de menos
mas o calor me trai,
e a poesia, tonta
refastela-se com o luxo
fastidioso dos mortais.

3 comments:

Malu said...

Que lindo!
O calor nos faz sentir sensações t´rridas mesmo...
Seus poemas são sempre cheios de sensibilidade.
Gosto muito.
Abraços

Sotnas said...

Olá Cecília, tudo bem contigo, assim desejo e espero!
Gosto deveras de visitar seu PE de pitanga, e ler poemas com toda sua sensibilidade aqui impressa! E com o luxo fastidioso de qualquer mortal me regozijo com teus poemas! Parabéns Cecília por sensíveis versos! Tudo de bom pra você todos ao redor sempre, agradeço pelas carinhosas visitas e comentários sempre gentis, grande abraço e até mais!

Sotnas said...

OPs. Perdão pela falha, o certo é pé de pitanga e não PE. até!