17 December 2010

MEU AMOR PEQUENININHO





Meu amor grudou no seu pelo
tal arreio de gado...
Ah, esse meu amor pequenininho,
que lhe quer colado,
e por ser pele com pele
voa em direção aos ares
- posto que sou ave -
atira-lhe aos azuis do espaço
embora sem meu laço.

2 comments:

Sotnas said...

Olá Cecília, desejo que tudo esteja bem contigo!
Sempre que venho aqui, me sentar à sombra de seu pé de pitanga, encontro belíssimos textos, escritos com sensibilidade e sentimentos, palavras que tocam e faz pensar quem as lê. Adorável espaço este seu pé de pitanga, parabéns! Desejo pra você e todos ao redor tudo de bom sempre, agradecido pelas sempre carinhosas visitas e comentários de incentivos, grande abraço e até mais!

André said...

Cecília,
como poderia ser "desvirtuada" uma poesia com uma tal elegância e de uma intensidade poética como a tua? minha métrica é mais musical que poética, pois de poeta o que tenho mesmo é veleidades...

Encanto-me sempre com os teus textos. E para que rima se já são tão naturalmente sonoros?

Um abraço, meu carinho.

André