21 February 2011

POEMA PARA UM LOBO



Hoje, finalmente,
depois de ter me livrado do lobo
(aquele que abriguei e a quem dei conforto)
tenho-lhe medo...
Não do próprio lobo,
mas do escorpião que ele traz no bolso.

3 comments:

T@CITO/XANADU said...

A alma humana,
deteriorada e puída,
Transforma-se em prisão.

Parabéns por libertar-se!

Tácito

Sotnas said...

Olá Cecília, espero que tudo esteja bem contigo!
Já que agora está liberta, terá mais forças pra se defender das artimanhas do desdenhado lobo.
Somente hesitamos até conhecer a plenitude de ser liberto, ainda que tenhamos deixado um lobo com seu orgulho ferido!
Belo texto Cecília, e também uma alegre ilustração, faz pensar
Obrigado pela gentil e carinhosa visita e, bem como o comentário, desejo a você e todos ao redor infinita felicidade, abraços e até mais!

André said...

Que bom ver-te de volta às tuas belas letras, querida Cecília, estava com saudades!

Eu continuei (e continuo) xeretando por aqui, sempre, garimpando belezas poéticas neste belo caudal de escritos teus.

Realmente, minha amiga, mesmo que às vezes domesticados, não se deve esquecer que o lôbo é um animal selvagem...

Teu texto lembrou-me uma bossa-nova dos meus verdes anos: "Lobo bobo". E que agora Chapeuzinho traz na coleira... *rs

Excelente, Cecília, parabéns!

Um grande abraço, e obrigado pela visita.

André