11 April 2011

CANÇÃO DO AMOR DEMAIS



O que sei,
depois de um verão escaldado,
de muitas noites ouvindo trovão,
é que sua companhia,
(algodão de travesseiro
por sobre meus pés)
permaneceu intacta.
Fossem dez verões,
dez verões eu falaria da sua maciez,
e dez noites de trovões me falariam
da sua virilidade, em forma de
um líquido azul
e um sono de parvos.
Seu braço e sua rota,
seu nome e sua palavra,
e aquilo que busquei
foi o que absurdamente achei
por debaixo da minha mortalha.
Eis aqui o bíblico sonho
de uma mulher que não crê.
A que estava morta, agora vive,
e o que passou, passou a não viver.

4 comments:

Sotnas said...

Olá Cecília, que tudo esteja e continue sempre feliz contigo!
É minha cara, falar de amor, não é tarefa fácil, e por mais que se fale, ainda será pouco, se ao menos não sentir, uma única vez que seja. Amor deve ser sempre bem cultivado e sentido plenamente!
Durante nossa existência são tantos sonhos, alguns que nos parecia tão prementes, passados percebemos o quanto não tiveram importância desejada, e já outros quanto mais vivemos mais renovados se tornam
Deveras agradável estar por aqui à sombra de teu pé de pitanga, lendo belos poemas junto a lindas imagens, muito bom mesmo ser envolvido por escritos de sentimentos diversos!
Parabéns pelo belo cantinho de belas pitangas!
Faz-me deveras feliz sempre que me presenteia com teus comentários, e também gostei das podas e arranjos feitos na tua pitangueira, me parece que mais feliz a cultivadora desta pitangueira com este sorriso!
Desejo a você e todos ao redor felicidades sempre, grande abraço e até mais!

Sotnas said...

Olá Cecília, que bom vê-la sorrindo tão brilhante e espontânea nesta imagem, cá de volta para um convite, para que compareça ao sotblog e traga um selo e algumas pequenas regras, assim me deixa mais um tanto feliz e aos teus amigos sabendo mais sobre você e toda esta energia que transborda em teu sorriso!
Agradecido pelos carinhosos comentários e visitas, desejo a você e todos ao redor muitas felicidades sempre, que sempre assim seja, abraços e até mais!

Will said...

Boa noite, Cecilia!
Intensos, reveladores, seus versos.
Gostei.
Abç

André Bessa said...

Um poema muito expressivo, querida Cecília, bem ao teu estilo, pleno de imagens evocadoras, originais. Um poema que tem a marca da tua força interior.

Fico muito feliz em ver que teu talento continua brilhando de todas as luzes dele, e que aquela fase de seca já é página virada. Para o nosso maior deleite.

Parabéns, querida amiga, e continua sempre inspirada assim!

Um forte abraço,

André