05 August 2006

FUTURO PROXIMO

O meu futuro esta aqui
Espraiado nas palmas da minha mão
Nas linhas curvas e retas do meu dia
Está socado no meu entender tão lento,
A ponto de adiar as decisões
Futuro de mentira, futuro que não vem,
Porque não há poesia que sustente um sonho
Nem há palma de mão que alimente a teimosia.

Quando criança, eu mesma me dizia,
Futuro é morte, não chega à minha vida,
Mas hoje, que eu sei que a morte existe e ronda
O medo estampa as linhas do destino
Me pego a me dizer, baixinho, pra mim mesma,
Futuro, venha logo, e abranda
O meu caminho,
Se há algum caminho, que eu percorra em vida.

2 comments:

Clarissa said...

Gostei, blog sempre atualizado.. agora precisa de um poema sobre a filha!

Maria Cecilia Figueiredo said...

Farei, e colocarei sua foto, ta bom?
Demorou, hein?