13 December 2006

CANSADINHA


Hoje estou meio cansadinha de viver
Essa vidinha sem sal que eu recuperei
Que venham as emoções cascateadas
Que venham os maracás da música que eu cantava
Que venham os ritmos nos bronzes dos metais
Que venham as danças em álcool batizadas
Que venham de Minas as rudes galinhadas
Que venham naturais as piscinas de Natal
É preciso que tragam os frios congelados de Chicago
Ou que me dêem os vinhos fartos servidos por eunucos
Que venha o leite esplêndido do casamento turco
Que venham as meninas tontas dos olhos do meu par

Estou tão cansadinha de viver
Essa paisagem desenhada a cana
Esse cheiro de terra disputando a lama
E essa chuva teimosa, cansativa e grossa
Essa vidinha morna,
Vidinha de acordar, puxar o ar
E ir dormir sem nada a comentar
Com risco de viver cem anos
Meu Deus, como a vida aqui é perigosa!

2 comments:

Anonymous said...

Quisera poder ter as palavras para expressar meus sentimentos. Mas eu só tenho as cores e muita falta me fazem as palavras. Posso usá-las um pouquinho?


Zazá

Maria Cecilia Figueiredo said...

Pode, e mostra pra mim!