12 January 2007

ESTOU INDO EMBORA



Já estou indo embora
Uma parte de mim já foi
E a outra, aqui neste momento,
Está fechando a última bagagem
E empacotando os integrais desejos
Que vivi.
Do outro lado,
Para onde já estou, meio mudada,
Minhas coisas estão sendo assentadas

Sobre a novidade,
Que agora me dá o excitamento da curiosidade
O que ainda não é conhecido me espera;

Tenho certezas afortunadas sobre o desconhecido
E quero o novo,
Ah, como eu desejo o novo!

Portanto, estou na metade do ainda cá
Mas o meu espírito já se mudou para quintal de lá
As minhas novas rotinas, já pratico,
Que é o desvencilhar então do que passou
Fechando a trouxa,
O fardo que eu levava
E que agora é peso leve.

Pouca coisa a carregar,
Do bom, a minha têmpera,
Do mal, a minha história.

Não sinta saudade de mim
Porque a saudade
Quando foi oportuna
Não vingou
E nem permaneceu
Estou alegre por ir
Do outro lado, para onde estou
Descobri que também há poesia
Não a poesia caduca da dúvida que me ajudaram a construir aqui
Mas uma poesia de fortaleza e de certeza
Nunca mais o talvez, o que será,
Paciência de predador esperando a presa...
Por isso, não lamente
Eu estou indo,
Feliz.

2 comments:

norma silva telles do valle said...

Cara M. Cecília. Ontem Azálea comentou comigo sobre sua poesia e me mandou sua homepage. Embora não seja versada em poesia, gostei imensamente do que li, linguagem coloquial discorrendo sobre assuntos fundamentais da existência humana. "Estou indo embora" é uma expressão muito próxima do meu momento de vida atual.Te desejo muito sucesso em sua empreitada, Norma.
OBS: fui professora de inglês do Danilo e Marcel e tenho muito carinho por todos eles.

Zazá said...

Eu Também estou indo embora.
Na época certa eu lhe contarei, você escreveu tudo o que eu pensei hoje. Talvez você queira ir para onde pretendo ir.
Estou sem tempo.
Marli foi p/ a praia.
Férias merecidas.
Zazá