05 March 2007

POEMA DA FALTA


O que dizer de mim
Depois da roseira balançada?
Dormi ao relento essa noite
Acordei de madrugada
Havia uma nesga de sombra
E uma mina de trevas que me acobertava
O dia já raiou para toda a gente
Para mim, entretanto
Hoje de manhã é noite,
À tarde será noite
À noite,
Seremos nós,
Eu, noite,
A noite, noite.

1 comment:

Zazá said...

Poema da falta?
Tá faltando poemas...


Azália