25 April 2007

DIA DOIS


Antes, quando eu era feliz,
Gostava de tudo
Apreciava tudo
Via beleza até na tampa do lixo
Que está respingada da tinta do quadro novo
Que enfeita a sala.
Agora, nunca mais vou amar um dia 2.

2 comments:

Zazá said...

NUNCA MAIS?
Meu Deus que figura gramatical mais feia!

Nem combina com vc.

Poeta que se preza, não diz nunca mais.
Pois para ele,todos os dias são novas oprtunidades de inventar o novo.
Luminosa manhã, pra que tanto Azul!

Zazá said...

Ceci

Entendeu direito?

Para um poeta, Não existe Nunca mais!