04 April 2007

PREPARAÇÃO AO IRRESISTÍVEL

Meu pai costumava ter muitos passarinhos em casa. As gaiolas ficavam enfileiradas numa só parede, mas aos domingos, depois de limpá-las uma a uma, cuidadosamente, ele colocava os bichinhos em lugares diferentes para que se motivassem a cantar mais. Um na frente do outro, um na varanda, outro ali perto da janela, pegando um pouco de sol.
Um dia deixaram uma das gaiolas abertas e um canário da terra, amarelo ovo, biquinho esverdeado, escapou, lá se foi embora... No meio da confusão, meu pai dizia: “ Ele não vai longe, não sabe voar, deve estar aí pela vizinhança, tem muito tempo de gaiola”.
Enquanto lastimavam, eu não. Entre assustada com o movimento, eu pensava, aliviada: “ Que bom que não se conformou e fugiu”.

Toda vez que vejo um pardal, uma rola, um bem te vi, acabo me lembrando do canarinho da terra, que arriscou a vida pela liberdade natural que lhe foi tirada e ainda acho que ele fez bem, uma decisão difícil de ser tomada, já que nunca havia praticado vôos altos e tendo o alpiste e alface colocados ali diariamente. Se morreu logo depois, não sabemos, jamais saberei. Mas quero acreditar que não, que aprendeu a voar, senão alto, o suficiente para conhecer os quintais e árvores que ele podia vislumbrar à distância. Deve também ter sentido o sabor do vento e a deliciosa busca pela sobrevivência. Durasse três dias, viveu intensamente três dias.

Abriram-me também a gaiola um dia, e eu escapei.
Estou ainda pela vizinhança, arrisco um salto e volto, pupulo e me delicio. Há um vento ameno que me trespassa e um céu que me apresentaram que eu pensava ser só de cartão. Todo dia eu penso que se escapei foi uma decisão de átimo, decisão-minuto, daquelas decisões de gente que age primeiro e pensa depois.
O bom foi que quando me abriram a gaiola, imaginaram que eu não resistiria. Resisto ao tempo, resisto-me, resisto ao que virá.
No final, fiquei sabendo que gaiola é a preparação ao irresistível.


2 comments:

amilton said...

Que deliciosa comparação, Cilinha!
Esse abril lhe chegou carregadinho de inspiração. Quanta coisa bonita e tocante voce já escreveu em tão poucos dias. Parabéns! Maravilha!
Um grande beijo do padrinho coruja! (Com razão!)

Zazá said...

CECI,
Quantas lembranças me vieram.

Adorei.
Vc está cada vez melhor.
Compreendo cada palavra e sinto-me dentro de vc.