19 July 2007

POEMA DA FALTA DE ASSUNTO


Escrevo um fio de emoção
Escorre-se o fio
E a emoção é só uma calda
Dentro da fala
E dentro do aço da minha fala
Quero me repetir todos os dias
E nem bem me repito
Quero o inédito
E quero o novo
Hoje acordei com saracutico de tia velha
Que resmunga e fecha a cara
Se disse bom dia
Foi um bom dia que não quis ser bom
Foi um bom dia de travas
As vezes detesto quando o dia está bom
Porque pra poeta bom dia é mesmice
Quero tudo alvoroçado
Quero pimenta nos olhos
Dos meus olhos
E pimenta malagueta
Na perna do frango do jantar
Tudo o que fiz hoje foi arrebentar a porta
Das emoções
Pra ver se eu sofria um pouquinho
Não sofri;
Então escrevo assim
Se não sofro, não escrevo
Se não escrevo, eu paro.

2 comments:

amilton said...

Que gostoso notar que você cada doa se firma mais em seu estilo.
Pois mais lerdão que eu seja (e sempre fui), jé percebo facilmente quando a autoria do que leio é sua.
Maravilha.
Neste dia da Amizade, beijos de um de seus grandes amigos.

Zazá Lee said...

Vou ser repetitiva...mas é verdade.