19 August 2007

CHEIRO DO MUNDO


Viajar para as estrelas
Essa é a viagem
Empreender a única coisa que o sonho suporta
E alenta;
O silêncio dos astros
- Só o pulsar do universo que se expande -
As magnitudes várias
As cores que matizam-se numa só
A virtuose do mundo
Que não se explica
Nem resolve-se,
Sabe-se;
É um saber tão pouco,
Tão passageiro
Tão sem curiosidade
Que apenas tombo minha cabeça
E respiro, afoita,
A décima parte
Do que conheço
E aquilo que não sei;
- Escuro imantado de segredo -,
Este, ainda assim, exala.




1 comment:

amilton said...

E por falar em estrelas...

Núvens que escondem uma estrela,
passam logo e, num instante,
será possível revê-la,
talvez até mais brilhante!

Com um beijão do padrinho