12 December 2007

PERDEU-SE


Já está tão tarde
Nem a 9 de Julho deve estar aberta
Talvez tenham fechado as ruas
Talvez tenham colocado policiais à curva das esquinas
Para inspecionar o que foi feito de mim.
Está tão tarde,
Nem verso quebrado me vem
Nem aquela vontade de comer tamarindo me voltou
Tão tarde está,
E a melancolia chuta o balde da euforia que havia há pouco
Todos foram para casa,
Devem estar tomando um prato de sopa quente
As risadas deles, altas, estrambólicas, me humilham
Fiz de tudo o que eu sabia fazer;
Aprendi a beijar,
Falei inglês como se fala em Londres
Escolhi o melhor azul do vestido que eu tinha
Está tão tarde,
O que iria aparecer devagarinho,
Com a trouxa de luz debaixo do braço,
Nem apareceu,
Perdeu-se no caminho.







2 comments:

ZAZÁ LEE said...

Eu já tinha lido este poema...mas não tinha comentado.
Lembrou-me meus tempos de juventude em RP!

ZAZÁ LEE said...

Eu já tinha lido este poema...mas não tinha comentado.
Lembrou-me meus tempos de juventude em RP!