02 March 2008

POEMA DA PORTA DA FRENTE


Quando vieres, venha pela porta da frente
Os ratos de bueiro se afastarão
As libélulas milagrosas se chegarão
para adornar a sua entrada
na praça do meu lugar
Os trinta e um meninos de rua por certo assobiarão
aquela canção de vida
que eu cantei numa tarde triste
porque era uma tarde quente
quente de ar e quente de sensilibidade
Talvez a porta da frente se abra como um abre-te sésamo
Contudo, estou confiante que já esteja aberta, revelada
Como meu coração adulto também está revelado;
É um coração que tem uma única porta;
a porta da razão na semelhança da simplicidade.
Quando vieres, não bata à porta,
Talvez não haja porta,
ou talvez ainda,
como meu coração adulto,
ela já esteja arrombada.

1 comment:

ZAZÁ LEE said...

Cadê Tio Amílton?
Não viu isto?
Peninha......