24 April 2008

POEMA DA PIEDADE DE MIM


Tem pena de mim, que sou uma mulher perdida
As prostitutas de Taiwan valem seu peso em ouro
e eu não valho a força motriz da gravidade
Venho rebatendo aquilo que julgam o máximo
Mas quando me perdi,
no beco onde os gatos sórdidos descansam
Foi-me a confissão mais triste
que eu mesma pude me dizer
De tanto lutar,
perdi o gosto para a batalha
Hoje tenho um travor na boca
e uma mágoa férrea de quem me passou para trás
Mas tem pena de mim
porque não me acho
e tem pena de mim
porque agora
já nem me quero achar
e tendo pena de mim,
larga-me.


1 comment:

Clarissa said...

Nossa! nem pedindo uma foto ela aparece aqui!!
Snif