20 June 2008

POEMA EM DIA DE CHORO


Não obstante se eu choro
A natureza, por mim, não se modificará
Tudo ao me redor permanecerá
como previsto
as chuvas choverão
o frio esfriará
e a lanterna de vidro
será inútil quando o dia amanhecer
No entanto, aqui dentro;
chove-me angústias de além-mar
esfriam-me os cataventos
e a lanterna de vidro, de dentro de mim
de pouca valia,
se acenderá.

2 comments:

ZAZÁ LEE said...

Li tudinho mas não comente.
Fim de semana, não dá tempo....
mas o farei Tá?

ZAZÁ LEE said...

Cecília


SEU BLOG ESTÁ LINDO !!!!!!