28 October 2008

FORÇA


Faz parte das minhas forças não fraquejar
Combinei com as minhas forças um pacto
Se eu fraquejar, elas me sucedem
e eu seu chorar, doravante,
elas me suicidam

Nâo há muito a temer em vida
a não ser temer perder a própria identidade
Se eu acordasse amanhã,
e se eu não fosse mais quem eu tenho sido até agora
Me perderia, arrancaria os cabelos
temeria o futuro,
atiraria a toalha da sorte ao chão
e desistiria da vida

Louvo-me pelas trincas da alma que ganhei
e satisfaço-me nas imperfeições que arduamente construí
Portanto, se fraquejo e cedo
e se na ânsia de compreender, mudo-me
Mato-me então na fraqueza do outro
e correspondo tolamente ao que o outro
tolamente embeleza

Mas minha beleza, meus amigos, é essa
Na fraqueza, encorajo a força
e na força imperfeita me completo.

4 comments:

ZAZÁ LEE said...

tava demorando para surgir uma poesia nova. E esta, é mesmo vc!

eloadir said...

Pé de Pitanga
Mas minha beleza é essa.Na fraqueza,encorajo a força e na força imperfeita me completo.
Muito lindo,assim como aquela foto sua com a mão no queixo.
bjs
eloadir

FMPereira said...

Olá, Cecília, adorei seus poemas!!!

ZAZÁ LEE said...

HUMMMMMMMMM.......
Tá escrevendo pouco PORQUÊ?????????