10 October 2008

SOLIDÃO


Hoje falarei de uma pequenez que já possuo
e de um sentimento mesquinho que também julgava ter
Falarei das minhas necessidades de mulher
e das minhas necessidades de respirar no espírito

Falarei de mim,
quando não desajaria falar de mim
e falarei daquilo que não conheço;
que é a vida
Se vivo, ainda não descobri porquê vivo
e se deixar de viver,
ainda assim pensarei que foi sem conhecimento

O que eu soube, e o que ainda saberei
é que cada chibatada,
cada tristeza abafada,
cada choro repetido
porventura não tenha sido em vão

Foi porque eu fôra tola,
ou por coragem
que eu me descobri sozinha,
e sem razão.



3 comments:

ZAZÁ LEE said...

ABSOLUTAMENTE LINDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
O Espelho sem Aço precisa destas palavras.

el. said...

Pé de Pitanga
Necessidade de mulher e das necessidades de respirar no espírito.
Falei daquilo que não conheço que é a vida.
Se vivo,ainda não descobri porquê vivo,e se deixar de viver ainda sssim pensarei que foi sem conhecimento.
Tudo muito lindo e profundo.
Permitá-me plagear uma canção que diz"quando Deus te desenhou ele estava namorando na beira do mar,ma beira do mar do amor"
Parabéns
el.

Anonymous said...

tem um erro de digitaçaõ na palavra "desejaria"

bj

Zazá Lee