02 February 2009

SANGUE E LÁGRIMA


Jamais serei a mulher dos sonhos de alguém
Meus pudores não permitem que eu seja admirada
O que é admirável, empobrece
e o que é beleza, perece.
Que vivam meus anseios e conflitos etéreos.
Enquanto eu for gente,
terei cheiro e sabor de gente,
que vem a ser,
uma mistura quente
de sangue e lágrima


2 comments:

Rita Costa said...

Boa noite, Cecília!

"Sangue Lagrima" me prendeu em seu blog como uma isca.
Achei tão lindo que sai vasculhando seus arquivos, já sabendo que neles, eu encontraria preciosidades.
Parabéns por esse lindo talento querida!
Você ganhou mais uma fâ aqui.:) Beijos...

ZAZÁ LEE said...

Sua visitante demorou mas encontrou a fonte.
E quanto ainda há a decobrir!