10 May 2010

O TROCO DE PEDRO


Vem um viandante empoeirado e me pede um troco.
Quis dizer como Pedro,

"nao tenho ouro e nem prata,

mas o que tenho lhe dou".

Dei-lhe um sorriso que estourou os ares

e a moeda que trocava generosidade

dentro do ralo rolou.

Como Pedro, sorri a amenidade

e como Deus, me eximi.

2 comments:

Anonymous said...

Blog lindo que. Sua Poesia e Muito Boa!

AZÁLIA BRUZADIN said...

E não tinha mais moedas....