04 May 2010

POEMA PARA UMA PONTE


As insensíveis perfeições dos arcos,
a luz amalgamada refletindo a ponte

e as sombras frescas mergulhando a água;
tudo é a beleza da vã utilidade.

Se um perdão eu tivera para a humanidade

seria por este inerte e súbito momento;
uma paz de Deus soprada em modelagem
e a luxúria quente de satisfação da alma.



2 comments:

Anonymous said...

O livro está nas livrarias?
Onde comprar?

Augusto Siqueira

PÉ DE PITANGA said...

O livro pode ser encontrado pelo site da distribuidora:
http://www.funpecrp.com.br/loja_nova/inicio/7/flypagetpl/shopproduct_details/229/1
Obrigada pelo interesse.