03 June 2010

A POETA E OS LAMBARIS


Quando eu tinha nove anos,
pesquei noventa e nove lambaris
na represa rasa da fazenda da tia Madalena.
Jamais me esquecerei daquela tarde!
Os lambaris chegaram mortos dentro da cesta,
mas a felicidade que exibi ao mostrar a peixada!
Esse ano mal começou,
e já há tantos lambaris mortos
debaixo dos meu dentes!

1 comment:

AZÁLIA BRUZADIN said...

Que gracinha este poema,e o Blog tá tão bonito!
Quando a gente abre...enche os olhos de frescor.