26 October 2010

PUBLICAR LIVROS



Quero me dedicar a fazer um livro de pinturas. Não sei pintar, mas e se eu me esforçasse? E se de repente eu fosse a papelaria hoje a tarde comprasse uma caixa de giz de cera e um livro de colorir? Podia ir treinando nas coisas de criança e depois passaria para o "advanced" já no ano que vem (sempre fui  ultra rápida para aprender, creia-me).
Pensei um fazer uns poeminhas pueris e ao lado dele, uma pintura esmaecida de cera... daí é achar uma editora e colocar o livro em frente.
Penso tanto em publicar livros, seria  todo mundo assim?
Se estou numa livraria, não olho com cobiça os livros expostos, mas procuro os meus (que infelizmente, estão ausentes, mas será por pouco tempo?).
Na verdade, quando se é escritor por dentro e por fora, nada importa se você publica ou não publica regularmente; o que importa é o que o livro que está dentro da gente já foi publicado em nosso rosto e nos gestos das nossas mãos, diuturnamente, e tudo está ali revelado para quem convive com a gente.
Os meus livros, aqueles que ainda não escrevi, já estão em mim e doidos para ganhar a rua...
As prateleiras das livrarias estão minha à espera.
Resolvi;  vou a papelaria ainda hoje.

1 comment:

zazá lee said...

Vire este texto ao contrário.
E se eu resolvesse escrever poesia?
Vire ao contrário.
Veja a vida ao contrário.
É bem mais interessante.
Bjs