19 January 2011

CANÇÃO DA SURPRESA

Dá-me a súbita surpresa
e vista-me daquilo
que compreendo bem:
o círculo vicioso de
nosso começo
e o anel ilusório
do nosso fim.

1 comment:

André said...

Bom dia, Cecília!

que maravilha começar o dia deparando-me comum tão belo visual de cores quentes e vistosas. Seu bom-gôsto na escolha de imagens para ilustrar seus belos textos não é novidade para mim, e esse novo visual está um show. Parabéns!

Esse poema, creia-me, é de antologia. Magistral! círculos e anéis se completam na sublime invenção da súbita surpresa (eu jamais pensei nisso!). Você é uma poetisa maior, querida amiga, sempre lhe digo. O prazer é todo meu em vir ler sua tão bela poesia.

Um grande abraço, meu carinho.

André