16 May 2011

CANÇÃO PARA DEUS


Deus, dá-me o paninho sujo,
dá-me teu colo quente,
dá-me a tarde de sono
e porta e janela cerradas,
dá-me uma sopa, meu Deus!
Porque hoje, a divindade
que nunca conheci
precisa aparecer 
nos melados dos açúcares,
nos calores amistosos do prato,
numa escuridão amiga
que não confunda ou assuste...
Dá-me o pouco e dá-me o simples,
e de tudo que me deres,
não me retires mais tarde,

6 comments:

Dayse said...

Cecília...o teu blog é sensacional, amo poesias....e por isso tenho um meme literário e selos para você de presente no meu blog....bjs...Dayse

Will said...

Dou-te um parabéns pelo poema, um respeitoso abraço e um desejo de uma ótima semana!

Sotnas said...

Olá poetisa Cecília, desejo que tudo esteja e permaneça bem contigo!
Poema de sabedoria e sensibilidade humana.
Sabemos que o pouco que conseguimos com Deus sempre bastará, ao passo de muito sem a benção divina de nada nos servirá, pois no fim descobrimos que nada tivemos!
Fico feliz por estar novamente por cá, a sombra de teu Pé de Pitanga, refestelado por ler mais este belo e sensível poema teu! Que você e todos ao redor tenham dias felizes e radiantes!
Agradecido pelo teu carinho, grande abraço e até mais!

Gleyce said...

Muito bom seu blog.... Parabéns...

zazá lee said...

Que lindo este poema.
Quase chorei, de verdade.
Acho que é porque me identifiquei neste momento.
Obrigada, pelos "poemas presentes" que vc me dá.

zazá lee said...

Li de novo. E chorei de novo.