26 January 2007

OLHOS TORTOS


Há centenas de pares de olhos me olhando agora
Olhos tortos, olhos amendoados
Olhos ricos,
E olhos pequeninos, apertados
Como os meus.
Tenho um profundo medo de todos os olhos
Quando me lêem, sabem que me lêem
Por dentro.
Qual é a mulher, cuja coragem
Não lhe é desafiada diante de outro olhar?
Sou eu a pequenina e frágil poesia
Que se amedronta facilmente, e ainda assim
Expõe-se
Diante da visão dos pares tortos,
Dos amendoados, dos ricos olhos
E nem sabe ainda se os olhos miúdos que me lêem
Também podem me julgar
Como me julgo;
Ínfima,
E com a visão mais torta
Do que os meus olhos minúsculos e pobres.

1 comment:

cleomarsantos@hotmail.com said...

Em terra de cegos, Ceci, quem tem um olho é rei!