09 January 2011

CANÇÃO DO DIA


Um dia de mais,
um dia de menos.
Um dia,
em que meu corpo
aqui viveu,
mas em nada acrescentou
de acertos.

3 comments:

Zélia Guardiano said...

Lindíssimo, minha querida!
Lindíssimo!
Identifiquei-me absolutamente com seus versos.
Virei sempre!
Deixo-lhe um forte abraço, todo entremeado de gratidão pela visita que me fez e pelo maravilhoso comentário.

Sotnas said...

Olá Cecília, desejo que tudo esteja bem contigo, sempre!
Talvez não a olho nu, percebeste qualquer mudança. Entretanto, pode afirmar que ao anoitecer se sentiu a mesma que iniciou o dia, pode afirmar que nada em seus sentimentos foram acrescentados, nada estava mudado ao fim do dia!
Sempre acreditei que muitos acontecimentos ao nosso redor são sequer percebidos pelos nossos lentos e enganáveis olhos, entretanto em certos momentos sentimos presenças estranhas em nosso ser que somente nossos sentimentos podem delatar tais acontecimentos, de acordo com a sensibilidade de cada um e do modo como sentimos tudo ao redor!
Sempre me agrada vir me sentar à sombra do teu Pé de Pitanga, refestelado além de ler belos poemas, me dou ao luxo de filosofar! Somente espero não estar sendo abusado com seu espaço. Desejo pra você e todos ao redor iluminada e feliz existência sempre. Obrigado pelas sempre carinhosas visitas e comentários, grande abraço e até mais!

André said...

Às vezes os acertos, assim como os êrros, são tão relativos, tão enganadores...

Obrigado por suas palavras sempre tão generosas às minha veleidades, querida Cecília. Em compensação, eu aqui vejo muita saciedade em seus escritos, uma fartura de belos versos, belas frases e belas imagens. De que sair daqui... saciado!!

Um belo dia, poetisa, meu abraço.

André